O mercado de câmbio e seus desafios

/ Por marketing

Thumbnail

O avanço da tecnologia é notável nos primeiros vinte anos deste século. As criações e soluções tecnológicas estão nas mais diversas áreas de produtos e serviços. Essa mudança de panorama já está consolidada e aos poucos serviços considerados mais tradicionais estão migrando para âmbito digital.

A globalização é um dos grandes impulsionadores dessa evolução. A digitalização da rotina humana está diminuindo distâncias, otimizando o tempo e facilitando operações. Logo o dinheiro em espécie deixará de existir, portanto grandes instituições financeiras já estão se adaptando para a nova realidade.

Já existem diversos serviços financeiros digitais, apresentando soluções criativas e fáceis para o cliente. O desafio de desburocratizar operações, é algo que nós constantemente tentamos superar.

O mercado de câmbio no Brasil é regido pelo Banco Central, que valida as operações e os agentes cambiais a atuarem no mercado. Hoje, os agentes autorizados são corretoras, bancos, agências de viagem, entre outros. Esse mercado é essencial para o mundo contemporâneo pois possibilita o comércio e viagens internacionais e também a movimentação do capital estrangeiro.

Para exercer essas atividades, existe uma taxa cambial que impacta diretamente as atividades de importação e exportação de produtos e serviços.

A taxa cambial varia de acordo com a valorização da moeda estrangeira em questão. Como as moedas de diversos países não possuem o mesmo valor, essa taxa tende a variar para mais ou para menos. De maneira simplificada, a taxa cambial é o quanto a moeda estrangeira vale em relação à moeda doméstica.

Operações de câmbio podem ser feitas por pessoas físicas e jurídicas. Tais operações incluem pagamentos e recebimentos de moedas estrangeiras, transferências entre países e investimentos. Além disso, o mercado pode ser dividido em dois níveis: 

  • O primário é conhecido por nós e mais comum, onde há a transações financeiras feitas por importações, exportações e viagens;

  • O secundário é mais complexo e menos comum, pois se trata de transações interbancárias, ou seja, bancos domésticos negociam e fazem a troca de capital.


O mercado de câmbio possui grande volume e liquidez. Com o crescimento e desenvolvimento da tecnologia, a velocidade e facilidade das transações deve impulsionar o volume e quantidade transacionadas.

Em 2019, o mercado primário atingiu U$ 1.5 trilhões transacionados e até abril desse ano, totalizou mais de 527 bilhões de dólares americanos em operações cambiais. Com grande volume movimentado, pequenas e médias empresas encontram dificuldade em efetuar transações de pequeno porte.

Com números expressivos, o mercado de câmbio possui grandes players também. Dentre eles está o Bexs, banco especializado em soluções e serviços cambiais. Com proposta inovadora, apresenta soluções digitais para o pequeno e médio empresário, além de ter a capacidade e competência para efetuar grandes operações.

É com essa visão de inovação que o B2Brazil, maior portal de negócios B2B da América Latina, em parceria com o Bexs Banco, lançou o serviço Câmbio+. Uma proposta inovadora que apresenta soluções digitais para o pequeno e médio empresário.

Para facilitar ainda mais as operações de negócios do Brasil com o mundo, com taxas competitivas e atendimento consultivo, é o complemento ao suporte e ferramentas oferecidos para a promoção de empresas brasileiras no mercado internacional.

Saiba mais em https://b2brazil.com.br/cambio-mais.

marketing
marketing

Usuário Marketing

Você também pode gostar